Notícias sobre o tratamento biofarmacêutico (câncer de ovário, mama, pulmão, coloretal, esofágico, gástricos, leucemia, epiteliais).

Notícias

Notícias, artigos e atualização científica

Imunoterapia em desenvolvimento: dados promissores em câncer de colo uterino.

A empresa brasileira Recepta Biopharma, em parceria com a empresa norte-americana Agenus Inc., está desenvolvendo anticorpos imunoterapêuticos inovadores para o tratamento do câncer, AGEN1884 e AGEN2034. A imunoterapia vem revolucionando o tratamento de diversos tipos de tumor.

Compartilhe este post

Imunoterapia contra o câncer avança, porém o preço limita o acesso ao tratamento.

José Fernando Perez, diretor-presidente da ReceptaBio, fala ao UOL: "Agora, a imunoterapia pode ser mais direcionada, atacando alvos específicos. A ideia é desbloquear essas barreiras para que o nosso sistema imunológico fique mais poderoso e consiga atacar as células cancerígenas".

Compartilhe este post

Desenvolvimento de medicamentos contra o câncer.

A Recepta Biopharma comemorou os resultados de testes em modelo animal, feitos pela empresa farmacêutica norte-americana Mersana Therapeutics. A pesquisa destina-se à geração de um novo fármaco para tratamento de câncer, através de um Anticorpo Monoclonal (RebmAb200) desenvolvido pela empresa brasileira em parceria com o Instituto Butantan.

Compartilhe este post

Imunoterapia: a inovação em tratamentos oncológicos.

Atualmente, no Brasil, existem poucas empresas que direcionam seus esforços para o desenvolvimento de novas imunoterapias direcionadas para o tratamento do câncer. Gerenciada pelo Dr. José Fernando Perez, a Recepta Biopharma é uma empresa brasileira de pesquisa e desenvolvimento de novos fármacos para o setor oncológico, baseada nos avanços da biologia celular e molecular.

Compartilhe este post

Pesquisa de ponta rompe barreiras nos fármacos.

A ReceptaBio atua na área de biotecnologia dedicada à P&D de novos fármacos voltados ao tratamento do câncer. É reconhecida por vários especialistas como uma promessa na inovação. Sua evolução levou-a a se tornar a primeira empresa brasileira a licenciar a propriedade intelectual de uma droga para o tratamento do câncer internacionalmente.

Compartilhe este post

Top