Notícias sobre o tratamento biofarmacêutico (câncer de ovário, mama, pulmão, coloretal, esofágico, gástricos, leucemia, epiteliais).

Notícias

Notícias, artigos e atualização científica

Recepta avança na pesquisa de peptídeos antitumorais.

09 de abril de 2018 Peptídeos Bioativos

Recepta avança na pesquisa de peptídeos antitumorais.

As atividades de pesquisa e desenvolvimento de novos biofármacos da Recepta têm sido realizadas por meio de parcerias com centros de excelência no ambiente acadêmico. Essas parcerias respondem também ao desejo de cientistas e acadêmicos de fazer com que o conhecimento produzido na bancada de laboratórios de universidades chegue a seu fim último de aplicação para o benefício da sociedade.


Exemplos de sucesso desse modelo são os projetos de pesquisa e desenvolvimento de novos peptídeos com propriedades antitumorais. Diversos peptídeos foram desenvolvidos e estão sendo caracterizados com a intenção de sua utilização em tratamentos oncológicos.


O artigo intitulado “The Ig VH complementarity-determining region 3-containing Rb9 peptide, inhibits melanoma cells migration and invasion by interactions with Hsp90 and an adhesion G-protein coupled receptor” ajudou a caracterizar e determinar o mecanismo de ação in vitro do Rb9, um dos peptídeos totalmente desenvolvidos pela equipe de pesquisadores da Recepta com patente já concedida pelo USPTO. Este peptídeo demonstrou características antitumorais ao inibir metástases experimentais de melanoma, um tipo de câncer de pele extremamente agressivo, em modelo animal.


Nesta publicação, foram determinados não só as estruturas dinâmicas do peptídeo bem como os mecanismos de ação e possíveis receptores para os efeitos de hiperaderência ao substrato, inibição de migração e invasão a matriz em células de melanoma, mas também em outros tipos de tumores. Tais características são fundamentais para que as células tumorais consigam migrar do seu sítio primário, invadir tecidos adjacentes e formar novos sítios distantes de colonização, as chamadas metástases. Ao inibir estes processos, o Rb9 é uma molécula candidata que deve continuar sendo estudada pelo seu potencial de ser levada a uma aplicação clínica.


Leia o artigo em: https://bit.ly/2JfG34c

Compartilhe este post

Top